Romantismo

Representações do Romantismo, ontem e hoje

hearth

ATIVIDADES PROPOSTAS PARA ESTE EXPERIMENTO

  1. Observar uma seleção de amostras de textos entre obras de arte, trechos de literatura, vídeo-clipes, fotojornalismo e histórias em quadrinhos e identificar intuitivamente as características que poderiam ser consideradas românticas em cada exemplo;
  2. Usando uma apresentação dialogada sobre características marcantes do romantismo como expressão estética, reexaminar as amostras, identificar os elementos da linguagem que criam as representações românticas e comparar a análise sistemática com as impressões iniciais;
  3. Usando uma apresentação dialogada sobre o engajamento de escritores brasileiros do período no movimento abolicionista, discutir em grupo a seguinte questão: “se fossem transportados numa cápsula do tempo para momento presente, em quais causas os poetas românticos poderiam se engajar? Que tipo de poesia poderiam escrever?”
  4. Analisar o modo como os brasileiros são representados na propaganda “Manifesto Havainas”.
  5. Usando um tablet, produzir uma videopoesia romântica sobre um tema de interesse do grupo.

 

MATERIAIS USADOS

Apresentação do professor aqui.

Material do aluno aqui.

Música “Flores” da banda Titãs aqui.

Vídeo-clipe “Amor I love You” da cantora Maria Monte aqui.

Manifesto Havaianas aqui.

Aplicativo We Video para editar a video-poesia aqui.

 

BREVE RELATO DA NOSSA EXPERIÊNCIA

A proposta foi testada em 10 aulas para estudantes do segundo ano do Ensino Médio, durante o terceiro bimestre, e colocou em prática uma especificidade pedagógica da mídia-educação, que vai de encontro às abordagens pedagógicas estabelecidas em aulas de Português: juntar conteúdos que são tratados separadamente, de modo linear.

O planejamento inicial da professora para aquele bimestre era composto de aulas separadas de gramática (concordância verbal e nominal), produção textual (reescrita de textos, trocando registros informais por registros formais da língua) e literatura (poesia romântica). A abordagem sequencial de conteúdos, na maioria das vezes usando a linguagem verbal, é a praxe em escolas brasileiras. Por outro lado, os conceitos-chave da mídia-educação facilitam uma abordagem simultânea de leitura, escrita e metalinguagem, aplicadas ao estudo de um caso. Optou-se pelo segundo modo de organização, concretizado em duas frentes.

Em primeiro lugar, o Romantismo não foi estudado como um período isolado, mas sim como um contraponto à escola seguinte, o Realismo. A partir dos conceitos-chave de representação e linguagem, as atividades trataram do modo de representar a realidade numa perspectiva romântica, posteriormente contrastada com uma perspectiva realista, contemplando a literatura e uma diversidade de outros textos. Em segundo lugar, a divisão das aulas em gramática, produção textual e leitura de poesia foi substituída por uma abordagem mais sistêmica, organizada a partir dos textos midiáticos centrais que, ao serem analisados, criavam oportunidades para tratar de questões de gramática e escrita.

As concepções iniciais dos alunos sobre o “o que é ser romântico” e as fontes que os ajudaram a construir essas referências foram o ponto de partida para um exercício de análise comparativa de amostras que incluiram cenas do filme “Drácula” de Francis Ford Coppola, trecho do livro “Moby Dick” de Herman Melvill (1819-1891), fotojornalismo de tribos indígenas brasileiras, vídeo-clipe da banda brasileira de rock Titãs, o quadro “A Liberdade Guia o Povo” de Eugène Delacroix (1798-1863), trechos da novela gráfica “O monstro do Pântano” de Alan Moore e uma ilustração de Tom of Finland (1920 – 1991). A estranheza provocada pela mistura de literatura e outras linguagens, textos antigos e contemporâneos, inclusive textos que desafiavam os estereótipos, tinha como objetivos ampliar o repertório estético e de valores associados ao termo “romantismo” e estimular habilidades analíticas para deputar características estéticas marcantes e usos de elementos da linguagem.

Historicamente, o auge da produção literária romântica brasileira coincide com o surgimento do movimento abolicionista, na segunda metade do século 19, e diversos escritores se engajaram nessa causa, a exemplo de Castro Alves (1847 – 1871) e Bernardo Guimarães (1825-1884), autor do livro “A escrava Isaura”, que foi adaptado para a televisão e se tornou uma novela popular internacionalmente. Este autor viveu parte de sua vida na cidade sede da pesquisa, e esses fatos foram aproveitados em uma atividade de simulação: se ele fosse trazido em uma cápsula do tempo de volta para a cidade, mas mantivesse seu estilo romântico, em que causas sociais se engajaria? Que tipo de poesia poderia produzir? A proposta preferida pela turma foi a união civil entre pessoas do mesmo sexo, “já que os românticos gostavam da liberdade”, nas palavras dos alunos que propuseram essa temática.

O estudo do Romantismo foi concluído com um exercício de leitura e outro de escrita multimodais. Os alunos foram desafiados a identificar onde estava o Romantismo e que recursos de palavras, sons e imagens ajudavam a criar a representação romantizada do povo brasileiro no filme publicitário “Manifesto Havaianas”[1]. Por fim, usando tablets, foram convidados a criar frases poéticas, gravar e editar cenas para uma vídeo poesia com linguagem romântica.

Tivemos muitos contratempos. Cabos que sumiam, caixa de som que não funcionava, um calor insuportável na sala de aula. No primeiro dia, havíamos preparado material para 36 alunos mas, como uma professora faltou, foi preciso juntar duas turmas na biblioteca e, repentinamente, tivemos pouco mais de 70 alunos!

De um modo geral, as atividades de leitura multimodal e as discussões que envolvem valores culturais obtiveram engajamento da turma. Mas eles tiveram muita dificuldade para criar uma frase de inspiração romântica e gravar a video-poesia, coletando imagens metafóricas com o tablet. O comportamento padrão é procurar frases prontas pelo celular e produzir fotos como as que já estão acostumados a fazer, sem uso de enquadramentos, iluminação etc. Não houve problema para usar o aplicativo de edição de vídeo. O maior gargalo pareceu ser a criação artística.

[1] Disponível em < https://youtu.be/sI03YBdxoXM> .

 

 

Anúncios